Carol Bartz

Tamanho da fonte: -A+A

A CEO do Yahoo, Carol Bartz, foi demitida nessa quarta-feira, 07, por telefone.

Medida adotada pelo conselho de administração do site, a demissão do mais alto cargo da empresa – que segue sem sucessão definida – levanta rumores de uma possível venda da empresa.

Segundo o Wall Street Journal, o presidente do conselho do portal, Roy Bostock, ligou para Bartz, que mais tarde revelou a demissão em e-mail a funcionários. Timothy Morse, CFO, assume interinamente.

De acordo com a publicação, Bartz não estava atingindo algumas metas estabelecidas pelo conselho para 2011, entre elas segurar o declínio no tempo gasto no portal, aumentar a receita e revisar os preços das ações da companhia.

Citando fontes “próximas do assunto”, porém não reveladas, o jornal norte-americano revela que o site estaria disposto a “se vender para o comprador certo”.

Fundado em 1994 por Jerry Yang e David Filo, o Yahoo teve uma receita de US$ 6,34 bilhões no ano passado, queda de 2% frente ao ano anterior e a terceira redução do indicador nos últimos três anos.

Sucesso nas buscas na década de 1990 – antes do Google – o Yahoo se beneficiou da bolha da internet no início dos anos 2000, chegando a valer US$ 118,75 por ação em 3 de janeiro desse ano, e caindo para US$ 4,05 em setembro de 2001.

Tendo se tornado um portal de conteúdos e serviços, como muitos outros buscadores, o Yahoo chegou a usar a ferramenta de buscas do Google de 2000 a 2004, quando adotou uma tecnologia própria.

Entre altas e baixas nos resultados anuais, o Yahoo adotou demissões em massa em 2008, ano em que recebeu uma oferta de compra da Microsoft, por US$ 44,6 bilhões, a qual foi rejeitada pela empresa.

Carol Bartz entrou no cargo de CEO em 2009, substituindo o cofundador Jerry Yang.

Leia a matéria do Wall Street Journal (em inglês) nos links relacionados abaixo.