Baguete
InícioNotícias> Paymentez: esforço para crescer em PoA

Tamanho da fonte:-A+A

Paymentez: esforço para crescer em PoA

Guilherme Neves
// quinta, 09/06/2011 15:31

A distribuidora de social games Mentez está fazendo um esforço de crescimento entre as lan houses de Porto Alegre com o sistema de pagamentos para jogos online Paymentez.

Segundo Leandro Montoya, Channel Manager da companhia, a meta é capturar de 30 a 50 canais no segmento até o final do ano.

“A gente identificou em Porto Alegre como um mercado bom para as vendas offline em função das boas vendas online. É um dos oito mercados mais promissores no Brasil, nas nossas contas”, explica Montoya.

Dados do Cetic.br indicam que as lan houses, junto com cibercafés, foram o segundo local de onde os moradores da região Sul mais acessaram a internet em 2009, com 17% das respostas.

A pequisa também mostra que 48% dos usuários do Sul passam pelo menos cinco horas por semana na rede.

Prospectando mercado
Na prática, representantes da Mentez vão prospectar mercado, visitando as lan houses e oferecendo o sistema.

Pela plataforma Paymentez, os estabelecimentos credenciados têm descontos de 11% a 13% na venda de crédito para jogos em redes sociais, incluindo títulos da própria Mentez, como o Colheita Feliz, e títulos como o  Farmville, da Zynga – ambos entre os mais populares do país segundo a comScore.

No ano passado, o mercado de games sociais movimentou R$ 200 milhões entre os brasileiros, com cerca de 25 milhões de jogadores – ou 73% dos usuários de redes sociais com mais de 15 anos.

O cenário, conforme a comScore, leva à projeção de 50% de alta em 2011, chegando a R$ 300 milhões.

Gamers do Sul
Antes de Porto Alegre, a Mentez fez a prospecção em Florianópolis, por 15 dias. O resultado, segundo Montoya, foi satisfatório, com 26 novas lan houses no cadastro.

Apesar de não revelar os números, o executivo destaca que hoje, a Mentez já tem participação na capital, com presença em lan houses, estabelecimentos com pagamento dos créditos via POS (máquinas de cartão de crédito) e usuários online.

Modelo de negócios
Com as lan houses, é feito um cadastro inicial que é enviado à empresa em São Paulo, onde as informações são checadas. Depois, um treinamento prévio com o dono da empresa.

Inicialmente, as compras feitas pela lan ganham 11% de desconto, que é elevado a 13%. Isso significa que R$ 100 na plataforma Mentez custam R$ 89 à lan house. Os créditos são vendidos para os clientes, acessando o painel.

“Se são vendidos, por exemplo, 10 moedas verdes do Colheita Feliz a um usuário, isso é enviado via  PIN, habilitando os créditos para uso no jogo”, explica Montoya.

Inicialmente, a compra mínima é de R$ 20, conta o executivo.

Hoje, os canais offline (como as lan houses) representam 10% do faturamento da companhia. O foco da empresa é capturar metade dos consumidores brasileiros que não são bancarizados, segundo o IPA.

“Porto Alegre é um destaque. Estamos em nove cidades, a maioria no norte. Só Porto Alegre é no Sul”, enfatiza Montoya.

Além disso, as lan houses que se tornam pontos de venda têm uma parceria com o Facebook. Ao promoverem o cadastro na rede social,  recebem benefícios em créditos Paymentez.

Novidades a caminho
Em agosto, a Mentez deve lançar uma parceria de e-learning, cuja empresa ainda não pode ser revelada, explica Montoya.

A ideia é oferecer cursos de datilografia e reforço escolar. Serão 300 cursos online, de quatro a oito horas. Segundo o executivo será outro atrativo para as lans.

“Muitas lan houses ficam com medo de ser associadas apenas a jogos”, completa.