O Brasil está se preparando para a ascenção da internet das coisas.
 
No fim desse mês, será formado o Fórum de Competitividade do IoT – Internet of Things (Internet das Coisas), com participação de profissionais, acadêmicos e entidades públicas e privadas.
 
O principal objetivo do fórum é mobilizar o país para que ele participe como protagonista, contribua com pesquisa, desenvolvimento de produtos e soluções, além de incentivar a aplicação pelas empresas e a sociedade.
 
“É importante identificarmos padrões que sejam mundiais para que haja comunicação das coisas pela internet e o fórum será fundamental para mostrarmos à sociedade a influência da IoT”, diz Gabriel Marão, um dos coordenadores do Fórum.
 
O executivo revela que a fase atual é de definir o que é necessário para criação do fórum e sua pauta. Será concluída uma lista de ações que envolvem interoperabilidade de aparelhos, carros, geladeira, smart grid entre outras coisas.
 
Entre os envolvidos está a GS1.
 
“Os padrões da GS1 são sempre desenvolvidos para atender aos requisitos das empresas usuárias de tecnologia. E vários dos padrões da GS1 foram criados com base no conceito do IoT; por isso, temos muito a contribuir”, afirma Roberto Matsubayashi, gerente de Inovação e Alianças Estratégicas da GS1 Brasil.
 
O grpo também conta com paticipantes da Perception, Escola Politécnica da USP, ITS Brasil,  Sindipeças, Ministério da Ciência e Tecnologia, Fapesp, USP, CPqD e Aeronáutica.
 
O conceito de internet das coisas envolve a conexão de objetos e aparelhos diversos, como paineis inteligentes de energia elétrica e automóveis, reunindo informações que podem ser enviadas ou analisadas por usuários.
 
A tendência é apontada pela Cisco como uma das causas do aumento de 19 vezes no volume de dados trafegados na internet brasileira, segundo previsões da empresa.