Uma pesquisa desenvolvida para a VeriSign aponta que 73% dos usuários da Web no Brasil correm o risco de sofrer fraudes on-line por não serem capazes de identificar as diferentes formas de phishing.

A pesquisa pediu aos entrevistados para que identificassem qual das duas imagens de um website, apresentadas lado a lado, pertencia a um site fraudulento de phishing.

As mulheres são 10% mais suscetíveis a serem vítimas de phishing que os homens, enquanto pessoas na região Centro-Oeste do Brasil são as menos suscetíveis a cair nas armadilhas dos fraudadores da Internet. O grupo etário mais vulnerável é o entre 35 e 44 anos, que tem 21% mais chances de ser vítima de phishing que o grupo entre 18 a 24 anos.

O sinal indicador mais ignorado foi a ortografia do site, com 73% das pessoas não conseguindo identificar os erros ortográficos que denunciariam o site de phishing.

Outros indicadores ignorados foram a inexistência do símbolo do cadeado na barra de endereço do navegador, a solicitação de informações adicionais sobre conta e a URL contendo um nome de domínio numérico e não específico.

"Com três quartos da população brasileira vulnerável a ataques de phishing, todas as empresas on-line precisam de um método para diferenciar facilmente um site verdadeiro de um site de phishing," afirma Tim Callan, vice-presidente de marketing de produto da VeriSign.

No site relacionado abaixo é possível testar os conhecimentos sobre a veracidade de sites.