O CEO da Microsoft, Steve Ballmer, deu o tom de qual deve ser a estratégia da companhia nos próximos anos na abertura do WPC 2010, que começou em Washington nesta segunda-feira, 12.

Ballmer não decepcionou a multidão que o recebeu aos gritos de “cloud, cloud, cloud” e saiu logo disparando que “se você não mudar para a nuvem, então não somos os caras certos para você” e prometeu que “os próximos doze meses serão nossos mais excitantes, fenomenais e incríveis tempos juntos”.

Durante a conferência, a Microsoft liberou uma versão de sua plataforma de cloud computing Azure para data centers pré-instalada em servidores. Dell, Fujitsu e HP irão fornecer distribuições próprias e limitadas do aplicativo.  O eBay irá usar o programa no ambiente de operações interno.

Ofertado desde fevereiro último, pelo modelo de software como serviço, o Azure já vem sendo usado por mais de dez mil clientes, declarou Ballmer durante o keynote. Como de costume, não faltaram as tradicionais provocações à concorrência.

“Não tem para Cisco nem Google. Eles não têm forma de entregar enterprise, a Microsoft tem”, cutucou Ballmer, que afirmou ainda que a “Amazon tem só infraestrutura” e a WMware “só virtualização”.

Para o diretor técnico da Sisnema, Giani Maldaner, que está no WPC e conversou por MSN com a reportagem do Baguete Diário, Ballmer expôs publicamente uma linha de atuação que já está em andamento e é um caminho “natural”.

“Hoje já temos clientes de Windows Intune, no qual gerenciamos rede pela nuvem. Também vendemos a ‘caixa’ de Exchange por US$ 5”, comenta Maldaner. Para o gaúcho, a tendência agora é os 13 mil parceiros Microsoft seguirem o recado de Ballmer, o que abrirá novas possibilidades na cadeia de software, com integração de produtos dentro da Nuvem Microsoft.