A AOL estaria tentando uma fusão com o Yahoo.

Fontes ouvidas pela agência Bloomberg informaram que Tim Armstrong, executivo-chefe da AOL conversou com assessores para que o Yahoo avalie uma união entre as empresas, após a saída da executiva-chefe Carol Bartz, na semana passada.

Outras agências internacionais informaram que a AOL delegou aos consultores financeiros do Bank of America a tarefa de desenvolver estratégias de aquisição.

A AOL também estaria avaliando opções para reforçar a presença das duas companhias na internet.

O presidente da AOL já estaria, inclusive, negociando com bancos e investidores uma injeção de recursos para fechar a operação.

Armstrong já havia demonstrado interesse em uma fusão com o Yahoo no ano passado, mas a proposta foi rejeitada, enquanto Bartz estava no comando. A saída da executiva levou Armstrong a reconsiderar a união entre as empresas.

Analistas do setor consideram que a fusão pode criar um poderoso competidor, com forças para fazer frente a qualquer outro no segmento de publicidade online, que no mundo deve movimentar neste ano US$ 20 bilhões.

O Yahoo sofreu grandes perdas nos últimos anos com o avanço das redes sociais. A companhia chegou a valer em torno de US$ 80 bilhões, mas desvalorizou 80% de seu valor.

Em 2008, a companhia chegou a rejeitar uma oferta de US$ 47,5 bilhões feita pela Microsoft. Hoje, o seu valor de mercado é estimado em US$ 18,2 bilhões.

Apesar dessas perdas, analistas consideram pouco provável que a companhia aceite um acordo com a AOL neste momento, em que a americana também apresenta perda de receita e de valor.

O valor de mercado da AOL é de cerca de US$ 1,6 bilhão. A AOL perdeu quase US $ 800 milhões desde que foi desmembrada da Time Warner, em 2009.