Passados menos de dois anos do lançamento do Peixe Urbano, o primeiro site de compras coletivas brasileiro, metade das páginas não divulgam mais ofertas ou estão fora do ar.

Segundo levantamento da consultoria e-Bit, divulgado pela agência Estado, são 1,6 mil sites no total.

O relatório, feito pela consultoria em parceria com o agregador de ofertas SaveMe, também indica que os oito maiores portais do tipo no país concentram 85% do faturamento do setor.

Conforme o o sócio-fundador do SaveMe, Guilherme Wroclawski, a facilidade de empreender levou a uma grande quantidade de lançamentos de empresas no segmento desde março do ano passado.

Wroclawski acredita que muitos empreendedores lançaram um domínio, mas não tiveram fôlego para permanecer no mercado. Os sites pequenos ainda são a maioria no segmento de compras coletivas, mas a tendência é de consolidação em um menor número de empresas.

Grandes sites estão se distanciando dos menores fazendo investimentos pesados e adotando estratégias de ofertas mais agressivas.

Desde o seu lançamento, por exemplo, o Peixe Urbano já recebeu investimentos dos fundos norte-americanos Benchmark Capital, General Atlantic e Tiger Global Management. Além disso, o apresentador de TV Luciano Huck entrou na sociedade.

A brasileira Monashees Capital também já investiu no empreendimento.

O site é um dos portais brasileiros que internacionalizaram, com operações na Argentina, Chile e México.

Em fevereiro, o ClickOn anunciou sua abertura também na Argentina, e a intenção de se estender para Uruguai, Chile e Colômbia. A expansão conta com o apoio do alemão Group Buying Global (GBG), que detém 50% do ClickOn, e montou o ClickOnerdo para os argentinos.

Além do ClickOn, pelo menos Groupalia (também com atuação no Brasil), e Save.me (agregador da compra coletiva comprado pelo BuscaPé e criado por brasileiros), também foram para a Argentina.