No Brasil, a candidatura para novos domínios de internet pode custar até R$ 500 mil, segundo informa o Núcleo de Informação e Coordenação do Ponto BR (NIC.br).

O processo, que teve início na quinta-feira, 12, permite a criação de novos sufixos nos endereços ou “top level domains” da internet.

De acordo com a publicação do Convergência Digital, até hoje há apenas 23 sufixos (.com, .net, .gov, etc), mas a ideia é admitir que sejam estabelecidos novos, por marcas, empresas ou mesmo produtos.

Além disso, na tentativa de cybersquatting, o processo prevê ainda a proteção da propriedade intelectual e da marca na web.

“Nos R$ 500 mil de investimento para candidatura estão incluídos os US$ 185 mil dos custos do processo na Icann e outros US$ 25 mil por ano, além garantias financeiras e requisitos técnicos”, avalia a NIC.br.

Mesmo com alguns órgãos em oposição à medida, como FMI e Departamento de Comércio Norte Americano, os primeiros domínios aprovados devem entrar em atividade a partir do primeiro semestre de 2013.

Para tanto, será preciso contratar um provedor back end para gerenciamento e publicação da base de dados com os nomes do respectivo sufixo.

No caso do Brasil, porém, uma das opções para os interessados é usar o próprio NIC.br, operador do “.br”.