Passados três meses do lançamento do Google+, o ex-CEO e atual conselheiro do Google, Eric Schmidt, decidiu criar uma conta na plataforma.

O executivo, que frequentemente era criticado por blogueiros por não demonstrar apoio ao projeto da empresa, tem usado o serviço de maneira ainda muito tímida, compartilhando post apenas com o círculo de contatos.

O perfil do executivo conta com cerca de 9,2 mil seguidores.

Em contrapartida, o CEO do Facebook, alvo a ser batido pelo Google na corrida pelas mídias sociais, foi um dos primeiros a entrar no Google+. Na época, Mark Zuckerberg contabilizava 21,2 mil seguidores, cerca de 6,4 mil a mais do que Larry Page, cofundador do Google.

Google+ em queda
 Nos primeiros meses após o lançamento do Google+ as pesquisas indicavam um crescimento acelerado, porém, no ápice do seu desempenho, cerca de 60% dos usuários ativos deixaram de usar o serviço.

Segundo informa o portal Mashable, a queda pode estar associada à abertura do site para o público geral, além das políticas de privacidade instáveis.

Com altos e baixos, a companhia está investindo em mais um serviço, o Google+ Plus, a partir do qual pretende retomar a visibilidade, a fidelização dos usuários e a disputa entre as redes sociais.