Com preços acima dos CDs no Brasil, a iTunes Store local abriu nessa madrugada, com um catálogo das obras de músicos brasileiros, que podem ser compradas em álbuns ou por faixa.

São mais de 20 milhões de músicas e mil filmes disponíveis para download.

A princípio, relata o jornal Valor Econômico, a moeda usada nas transações será o dólar. Grande parte das músicas custa US$ 0,99 e os álbuns, US$ 9,99.

Para efetivar as compras, é preciso ter um cartão de crédito válido com endereço de cobrança no país.

Em alguns casos, no entanto, a única vantagem é a comodidade de baixar as faixas no computador, em função do preço das coleções à venda na loja da Apple. No iTunes, o CD “O Inimitável”, de Roberto Carlos, por exemplo, custa US$ 9,99 (cerca de R$ 18,35), em uma loja online, sai por R$ 12.

Outros produtos, porém, têm mais vantagem quando comprados no iTunes, se o usuário abrir mão de encartes, por exemplo. É o caso do CD "O Que Você Quer Saber de Verdade", da cantora Marisa Monte, que pesquisado no varejo custa quase 70% a mais que a comrpa no iTunes, com o frete.

Roberto Carlos e Marisa Monte não são os únicos artistas famosos do Brasil à venda na iTunes brasileira.

A partir de acordos com as principais gravadoras e selos independentes, o catálogo de artistas inclui nomes como Chico Buarque, Maria Bethânia e Ivete Sangalo.

São oferecidos, também, filmes, dos catálogos de estúdios como a 20th Century Fox, Paramount Pictures, Sony Pictures, Universal Pictures, The Walt Disney Studios e Warner Bros. Pictures.

A Apple também irá oferecer serviços como o iTunes Match, por US$ 24,99, que permite acessar remotamente músicas e vídeos do usuário armazenados nos servidores da companhia.

A loja também está sendo lançada em outros 15 países da América Latina, como Argentina, Bolívia, Chile, Colômbia, Costa Rica, Paraguai, Peru e Venezuela.

O iTunes tem 14 milhões de músicas, 1 milhão de podcasts, mais de 40 mil vídeos de música e 2,5 mil filmes. Desde 2003, foram vendidas 10 bilhões de músicas.

No Brasil, onde a indústria fatura R$ 360 milhões, a música digital responde por 11,9% do mercado, a menor fatia, atrás de mídias como DVD e Blu-ray (28,12%) e dos CDs, com 60%. Essas informações são da Folha de S. Paulo.