A Teka, fabricante de artigos de cama, mesa e banho, integrou suas operações de compras eletrônicas ao ClicBusiness, portal de serviços de busca de fornecedores e consolidação da publicação da demanda de diferentes portais de e-procurement recém lançado pela catarinense Paradigma.

A empresa de Florianópolis, que também mantém unidade em São Paulo, atende à Teka desde 2006.

Na época, a Paradigma forneceu à fabricante de toalhas, roupas de cama e afins uma plataforma para gestão de processos de compras eletrônicas. O projeto, então, foi desenvolvido exclusivamente para o cliente.

De lá para cá, a Teka já realizou mais de 24 mil processos de e-procurement, que movimentaram cerca de R$ 385 milhões em negócios, com uma economia média de 8% e aproximadamente 20 mil itens negociados ao ano.

“Diante dos resultados positivos, fomos convidados a participar do grupo de usuários que desde 2008 vinha modelando a arquitetura e definindo as principais funcionalidades e serviços do portal ClicBusiness”, conta  Arthur Löwen Junior, gerente de vendas da Teka.

Além disso, a empresa também participou de testes para homologação da versão beta que suportou o projeto piloto do ClicBusiness, iniciado em 2010.

Segundo Löwen Junior, agora, com a integração do portal de e-Procurement da Teka aos serviços do ClicBusiness, a empresa irá agilizar o processo de credenciamento de novos fornecedores.

“Isso pelo fácil acesso a uma base de empresas,  identificação de aderência de perfil,  qualidade e experiência das companhias”, destaca o gerente de Vendas.

O maior ganho com a ferramenta, segundo ele, está na oportunidade de negócios gerada, já que, como usuária, a companhia é diretamente beneficiada pela solução.

“Não precisamos gastar tempo e dinheiro prospectando novos parceiros de negócio”, explica Löwen Júnior.

A Paradigma é especializada em soluções para negociação e relacionamentos eletrônicos.

A empresa atua em projetos de diversos setores, mas principalmente com foco nos segmentos de energia, governo (federal, estaduais e municipais) e empresas da cadeia de valor.

Com uma carteira de clientes que traz nomes como BBM – Bolsa Brasileira de Mercadorias e Tesouro Direto da BMF&Bovespa, a empresa é responsável pelos mega-leilões de energia elétrica que comercializaram mais de R$ 500 bilhões nos últimos cinco anos no país.