Persio de Luca

Com investimento de US$ 55 milhões, a EF Englishtown lança um sistema de ensino de inglês online desenvolvido por Enio Ohmaye, ex-cientista sênior da Apple e atualmente diretor de Tecnologia da EF e EF Education First.

O Brasil é um dos focos do lançamento, já que é o segundo maior mercado do mundo para a escola, atrás apenas da China: hoje, os alunos brasileiros somam 100 mil. Com o novo modelo de e-learning, a expectativa é dobrar este número.

Com a novidade, a EF Englishtown promete acelerar em 50% a velocidade de aprendizado do idioma. O sistema conta com mais de 1,5 mil horas de conteúdo interativo, abrangendo mais de 500 vídeos produzidos com atores, roteiristas e estúdios de Hollywood.

Há, ainda, ferramenta de reconhecimento de voz para correção de pronúncia, mais de 10 mil atividades interativas, professores nativos disponíveis para aulas de conversação 24 horas por dia e comunidade online, além do EF Cambrigde English Level Teste, exame de proficiência desenvolvido pela Cambridge ESOL.   

“Aliamos o que há de melhor em tecnologia à nossa experiência com o e-learning, uma forte tendência não só no Brasil, onde cresce cerca de 40% ao ano, mas também mundialmente”, analisa Persio De Luca, gerente geral da EF Englishtown no Brasil.

O novo método, segundo ele, foi testado pelas unidades de pesquisa da organização em Xangai, Zurique e na Universidade de Cambrigde.

Já Enio Ohmaye explica que a flexibilidade de tempo e decisões, diferenciais do novo modelo, ajudam no aprendizado. "As pessoas aprendem mais rápido quando estão engajadas e podem controlar o próprio ritmo”, argumenta. “Concebemos um sistema que torna o aprendizado de inglês personalizado e flexível. Podemos garantir que as pessoas aprendam exatamente o que precisam”, destaca.

Mercado em expansão
A aposta da EF Englishtown é em um mercado que, segundo pesquisa do portal Catho, tem muito o que crescer: conforme o estudo, somente 25% da população do Brasil fala inglês fluentemente, com alguns erros, ou fala e escreve corretamente.

Já de acordo com o TGI (Target Group, do Ibope), somente 12% dos brasileiros dizem entender um programa de TV em inglês e 13% conseguem ler um jornal ou livro nesse idioma.

Parece um percentual relevante, mas vale lembrar que o TGI pesquisa uma amostra correspondente a 45% da população brasileira nos principais centros consumidores.

Ao cruzar essa informação do Ibope por classe social, percebe-se que nas classes A e B, o percentual dos que entendem inglês sobe para 26%. Mas na classe C, que representa 52% da população, esse índice cai para 6%, e nas classes D e E, para 2%.

Para suprir esta carência do ensino de idiomas, o Portal e-Learning Brasil indica o ensino via web como tendência, com potencial de crescimento médio de 40%/ano no país.

Outra pesquisa, também realizada pelo e-Learning Brasil, em março de 2010, mostrou que 64% de um universo de grandes empresas públicas e privadas responderam que investirão este ano até R$ 100 mil em ensino à distância.

Outras 14% destinarão entre R$ 100 mil e R$ 200 mil a este setor, enquanto outros 7% investirão entre R$ 300 mil e R$ 500 mil.

A escola
A EF Englishtown e a EF Corporate Language Training são divisões da Education First, companhia especializada em educação no mercado desde 1965.

O grupo EF tem 31 mil funcionários, 400 escolas e 75 escritórios em 51 países.

A EF Englishtown, divisão de inglês online do grupo, conta com mais de 15 milhões de usuários, atualmente.