O Google já está mapeando cidades do Rio Grande do Sul para a inclusão de imagens no Street View – recurso do serviço de mapas da companhia que permite um “passeio” por ruas através de imagens panorâmicas.

Região Metropolitana, Caxias do Sul, Santa Maria, Uruguaiana, Bagé, Santa Cruz do Sul e Erechim estão na lista das gaúchas.

Segundo a assessoria de imprensa do Google, não há uma lista fechada, mas o carro já foi visto, além das capitais do Sul e das cidades já citadas, em Joinville (SC), Blumenau (SC), Londrina(PR), Foz do Iguaçu (PR).

Aos poucos, diz o diretor de comunicação da empresa no Brasil, Felix Ximenes, o Street View passará por todas as regiões do estado.

Capturando as ruas
Os veículos que capturam as imagens são geralmente carros, equipados com até 15 câmeras, além de bicicletas e motos – em algumas cidades – para ter acesso a lugares em que veículos de quatro rodas não entram.

Até agora, só há notícia de carros sendo usados na captura.

Passada a captura, o Google inicia a fase de tratamento das imagens para sua posterior publicação.

São dois meses de tratamento, diz Ximenes, caso não hajam falhas na captura e no armazenamento das imagens no período de fotografia das ruas das cidades visitadas pelos carros da empresa.

Projeto desde 2009
Lançado em 2007 nos Estados Unidos, o serviço integra fotos de ruas e avenidas de grandes cidades ao Google Maps e ao Google Earth.

A partir dessas fotos, é possível ter uma visão de 360 graus dos ambientes.

No Brasil, o projeto surgiu em 2009, quando o Google Brasil fechou acordo com a montadora de carros Fiat para trazer o serviço para diversas cidades brasileiras.

São Paulo, Belo Horizonte e Rio de Janeiro foram as primeiras cidades a receber a novidade.

Desde o seu lançamento, o Google vem enfrentando problemas relacionados a privacidade em alguns dos mercados onde vem capturando as imagens que alimentarão as versões regionais do Street View.

Em 2009, além de ser obrigado a refazer imagens no Japão e enfrentar turbulências no Reino Unido, o buscador foi proibido de fotografar três cidades gregas e vem sofrendo pressões na Alemanha para apagar certas localidades.

No dia 30 de setembro de 2010, um cadáver flagrado pelos carros do Google na Avenida Presidente Vargas, no Rio de Janeiro foi a primeira polêmica do serviço no país.