O Buscapé entrou com representação na Secretaria de Direito Econômico do Ministério da Justiça contra o Google, acusando a multinacional americana de práticas anticompetitivas na promoção do seu serviço Google Shopping.

Segundo informações do Estadão, a primeira queixa é que apenas os produtos do Google Shopping aparecem com foto na página de busca do Google, o que os tornam mais atraentes aos internautas.

A segunda reclamação, um pouco mais difícil de ser averiguada, diz respeito à ordem em que os sites de comparação de preços aparecem no resultado da mesma pesquisa.

A desconfiança é porque, apesar de novo, o Google Shopping já surge em posição considerada privilegiada em relação aos demais concorrentes em muitas das buscas. Em tese, quanto mais antigos e conhecidos, maior a frequência dos sites nos resultados.

Conforme a Serasa/Experiean Hitwise, o Google detém 95% do mercado brasileiro de buscas.

Líder de mercado, o Buscapé detém 31% da participação dos comparadores de preços em termos de tráfego, segundo a ComScore.

Outras empresas que atuam no segmento são ShoppingUOL (24%), Bondfaro (18%), Zura! (7%), JaCotei (5%) e CotaPreço (5%).