O site de relacionamentos de profissionais anunciou nessa terça-feira, 22, ter chegado à marca de 3 milhões de usuários no Brasil.

Com o valor, o aumento é de 428% ao ano entre os brasileiros, fazendo do país o mercado em que a rede social de nicho mais cresce. A alta no Braisl é seguida por México (178%), Índia (76%) e França (72%).

A rede social, fundada em dezembro de 2002 e lançada em maio de 2003, alcançou 100 milhões de membros no mundo.

O LinkedIn levou seis anos para atingir o número de 50 milhões de usuários. Porém, a rede precisou apenas um ano e meio para que o número dobrasse.

Hoje, um novo membro é cadastrado a cada segundo.

O LinkedIn divulgou que 56% dos usuários do site estão fora dos Estados Unidos. Os horários de maior acesso à rede são durante o horário comercial, tendo como pico o meio-dia. Já o acesso por celular atinge o maior pico em torno das 20h.

Segundo o site, há cerca de 1 milhão de professores no LinkedIn, 20% dos membros trabalham no setor de serviços, 9% em finanças e outros 9% na indústria da tecnologia.

Na comparação com outras redes sociais no Brasil – país conhecido pelo gosto por sites do gênero na internet –, o LinkedIn ainda é pequeno. O Orkut tem mais de 36 milhões de usuários e o Facebook, mais de 9 milhões, segundo dados do Ibope de 2010.