Símbolo do grupo hacker internacional LulzSec

A onda de ataques a sites e bancos de dados de governos e entidades regulatórias chegou ao Brasil.

Nessa noite, o grupo de hackers LulzSec reivindicou para si a autoria dos ataques aos sites da presidência da República no Brasil e da Receita Federal (acesse os sites nos links relacionados abaixo). A imprensa da presidência confirmou os ataques ao site IDG Now.

De acordo com o portal, as páginas ficaram fora do ar por pelo menos uma hora, depois que o Serpro identificou os ataques.

A ação foi descoberta antes de dados serem capturados, de páginas serem alteradas, informou o Serpro.

Em uma conta no Twitter, que pertenceria ao grupo de hackers LulzSec, o ataque é apontado como tendo como origem o “braço brasileiro” do grupo.

O ataque perpetrado no Brasil coloca os sites oficiais do governo numa lista que já inclui  Sony Pictures, CIA, FBI e o Senado norte-americano.

Formado nesse ano, segundo a Wikipedia, o LulzSec deriva seu nome de Lulz (uma derivação de LOLs, “laughing out loud”, rindo alto, numa tradução livre) e Sec (security, segurança em inglês) – algo como segurança risível, numa interpretação livre.

Uma das táticas mais comuns do grupo é o “defacing”, quando hackers alteram o design de páginas.

Segundo o site The Independent, o grupo não tem motivações financeiras, e age "por diversão".

Em sua página no Twitter, na versão brasileira, o site diz que só interessado em portais do governo no país.