A EPTC lançou nessa quinta-feira, 22, o site PoaTransporte, uma interface em mapas, que atualiza e torna mais amistosa a busca por itinerários das linhas do transporte público em Porto Alegre – anteriormente exibida por listas de ruas, ou “logradouros”, como preferia a EPTC.

A novidade surge nove meses depois do estudante de Ciências da Computação da Ufrgs, Bruno Jurkovski, 20 anos, lançar o Poabus, um site muito similar que chamou a atenção da população no começo do ano.

Segundo a EPTC, o desenvolvimento do site foi feito “ao longo do ano”.

Poatransporte
Lado a lado, os projetos se parecem. Mapa, pins e rotas – todos recursos do Google Maps. Os dois contam com áreas à esquerda, onde são apresentados os resultados das buscas por rotas – de ônibus ou lotações.

O site da EPTC também exibe paradas de ônibus e pontos de táxi.

São 364 opções de itinerários e cinco mil paradas que foram adicionadas ao site, além das informações sobre os roteiros.

Uma extensa base que dá ao PoaTransporte a sua maior força: a base de dados.

Poabus
Esse mesmo recurso foi negado a Jurkovski, que revelou ao Baguete, em março, que entrou em contato com a prefeitura solicitando os dados, mas não foi atendido.

O jeito foi apelar para a colaboração dos usuários, pedindo que os internautas inserissem as rotas.

O site também exibe paradas e rotas, mas se restringia a 70 linhas por ocasião do lançamento – hoje são exibidas 201.

De Grenoble, na França, onde está estudando, Jurkovski apontou as diferenças entre os sites.

“O sistema da prefeitura possui dados de mais linhas, por, naturalmente, terem acesso à essas informações. Mas por outro lado ele não possui funcionalidades existentes no Poabus”, disse ao Baguete.

O trunfo do Poabus, desenvolvido em três meses nas horas vagas do seu idealizador, é justamente ser mais amigável do que o “concorrente” da EPTC.

No site, por exemplo, é possível inserir endereços de origem e destino e traçar as rotas de ônibus para chegada, exibindo as paradas por proximidade.

É algo similar ao que o próprio Google já faz em algumas cidades brasileiras, como São Paulo.

Google entra na jogada
Segundo a assessoria de imprensa da prefeitura, um convênio com o Google para a inserção de informações de origem e destino está previsto para 2012, junto com outras novidades no transporte público metropolitano, como informações das linhas que passam em cada parada.

A ideia de Jurkovski surgiu de uma palestra no Fórum Internacional Software Livre do ano passado, quando Carlos Duarte do Nascimento, ou Chester, apresentou o projeto Cruzalinhas.

O site traça trajetos de ônibus na cidade de São Paulo. Apesar da inspiração, e de o Cruzalinhas ser um projeto open source, a versão gaúcha não chegou a aproveitar o mesmo código fonte.

Além do projeto de São Paulo, que inspirou Jurkovski, o projeto de Londres é bastante parecido com o PoaBus. Usando o ponteiro do mouse, é possível marcar ponto de partida e destino num mapa do Google.

O sistema do London BusMapper sugere as rotas e trajetos automaticamente.