Estudo da agência Razorfish aponta que o consumidor ainda não enxerga as redes sociais como fontes de envolvimento com uma marca, apesar do esforço das empresas de aproximação com os clientes nesses canais.

Chamada de Liminal, a pesquisa entrevistou seis mil consumidores do banco de dados da companhia aérea Virgin America.

Dados sobre o engajamento em mídias sociais relativos a mais de 100 mil usuários de Internet, compilados pela empresa Rapleaf, também entraram no estudo.

Segundo a pesquisa, os sites de relacionamento não atendem a todas as expectativas da audiência.

Os consumidores citaram, por exemplo, o fato de sentirem-se valorizados como sendo o elemento mais importante para o envolvimento com uma marca.

Enquanto redes sociais como o Facebook são respeitadas por entregar controle e relevância, diz o relatório, não são tão bem sucedidas em auxiliar as marcas a fazerem com que sua audiência sinta-se valorizada.

A maioria das pessoas ainda prefere manter contato com uma marca através de métodos mais tradicionais como o e-mail, sites da empresa ou, ainda, por meio do boca a boca, diz o documento.

“Todos querem a mesma coisa. Assim, as empresas devem se preocupar menos com a construção de inúmeros canais e pontos de contato e mais sobre como assegurar que cada interação com o cliente comunique valor”, aconselha Fernando Tassinari, general manager da Razorfish Brasil.

Como parte do estudo, a Razorfish criou a ferramenta Ranking de Influência do Consumidor – uma equação que auxilia as marcas a avaliarem o valor de um consumidor com base em sua influência e alcance, baseado no Twitter.

Leia mais sobre o estudo no portal Administradores, nos links relacionados abaixo.