A SolidWorks apresentou nesta segunda-feira, 24, o Post3D, um showroom virtual para projetos baseados em CAD 3D, no qual clientes podem interagir com os produtos por meio de avatares, em um ambiente ao estilo do Second Life.

O objetivo da novidade, que deve estar disponível comercialmente a partir do segundo semestre, é facilitar o trabalho de vendas das empresas usuárias do SolidWorks.

“Isso é online gaming para profissionais”, resume Jeff Ray, vice-presidente de Operações Regionais da Dassault Systèmes. “É uma resposta à frustração que qualquer designer sente ao não conseguir mostrar realisticamente seu trabalho para o cliente”, conclui.

Criado por meio de uma colaboração entre profissionais de P&D da 3DVIA e da SolidWorks, o Post3D é também um exemplo da integração crescente da SolidWorks, companhia americana adquirida em 1997, ao negócio do o grupo francês.

Outro exemplo é o próprio Ray, CEO da SolidWorks nos últimos quatro anos e agora tem assento no board mundial da Dassault Sistemes.

Em seu lugar, em uma companhia que ainda tem a maioria dos seus clientes nos Estados Unidos, assume o francês Bertrand Sicot, que estava na Dassault, mas já havia atuado por quatro anos nos EUA.

“Não somos uma empresa americana, mas uma companhia global”, enfatiza Ray, destacando o faturamento do grupo Dassault, na casa dos US$ 2 bilhões. “Nosso trabalho agora  é preparar a empresa para chegar a US$ 6 bilhões ou US$ 8 bilhões”, adianta o executivo.

No momento, as duas companhias estão se  mudando para headquarters conjuntos ao redor do mundo, inclusive no Brasil, onde os escritórios foram unificados em São Paulo.

Unificação de plataforma
A dúvida segue sendo quando as companhias vão unificar suas plataformas de CAD 3D em um motor único, facilitando o intercâmbio de arquivos.

“Será mais cedo do que vocês esperam, mas não cedo o bastante”, desconversa Ray, em um estilo meio western apropriado às suas origens texanas.

Mesmo com a unificação das plataformas em vista, Ray garante que não deve acontecer uma fusão das soluções. “Ao contrário da concorrência, não pretendemos solucionar todos os problemas com uma só solução”, cutuca.

Maurício F. Renner cobre o SolidWorks World em San Antonio nos Estados Unidos a convite da SolidWorks.