Foi liberado nesta semana o empréstimo de livros eletrônicos entre usuários da plataforma Kindle, da Amazon. Agora, quem tiver o próprio Kindle ou o aplicativo instalado no PC, iPhone ou outro dispositivo compatível, poderá pegar um e-book emprestado de outro usuário.

Apesar de autorizado, destaca o jornal Folha de S. Paulo, o empréstimo não é livre.

Em primeiro lugar, somente obras autorizadas pela editora entram na troca. Além disso, cada livro pode ser emprestado apenas uma vez, por 14 dias. Enquanto estiver emprestado, o livro eletrônico não poderá ser acessado pelo dono original.

Segundo a Folha, as restrições têm por objetivo proteger a venda dos modelos eletrônicos - uma das grandes apostas das editoras.

A Amazon não divulga números, mas analistas acreditam que 5 milhões de unidades serão vendidas neste ano - e mais de 8 milhões no ano que vem.

Em julho, a Amazon afirmou que a venda de livros para o Kindle já supera a comercialização de obras no formato tradicional.