Jonatas Abbott

A Dinamize anunciou nesta quarta-feira, 28, a aquisição da LiveBuzz, empresa paulista especializada em monitoramento de mídias sociais.

 
O negócio visa reposicionar a companhia gaúcha de e-mail marketing com uma solução completa de comunicação, envolvendo dados de campanhas de e-mail, mídia social e em aplicativos móveis com informações e controle centralizado.
 
A aquisição teve como desdobramento paralelo a compra dos 50% que a agência digital catarinense A2C possuía no EasyBuzz, um software de monitoramento menos desenvolvido oferecido pela Dinamize e que já está sendo integrado ao LiveBuzz.
 
Além da participação no software, a Dinamize comprou de volta da A2C o contrato de exclusividade que o parceiro tinha no mercado catarinense, hoje responsável por 8% do faturamento total.
 
Combinados, os negócios significaram um investimento de R$ 2 milhões por parte da Dinamize.
 
A expectativa é que os novos negócios gerados pelo LiveBuzz gerem 10% de um faturamento esperado de R$ 16 milhões da Dinamize em 2012. Para este ano, a meta é R$ 11 milhões, o que reflete uma expansão média anual de 45%.
 
“O LiveBuzz tem agora atrás de si o melhor time comercial do Brasil nessa área”, aponta diretor executivo da Dinamize, Jonatas Abbott.
 
Abbott destaca o potencial da ferramenta, que já tem 40 clientes, entre empresas e agências, incluindo nomes como Vostu, Plan B, Superdownloads e Algar Midia, entre outros.
 
A Dinamize também fez investimentos em melhorar seu motor de envio de e-mails, saltando de uma capacidade de 20 milhões por dia para 300 milhões, sem fazer investimentos adicionais na infraestrutura, que hoje conta com 300 servidores.
 
“A nova capacidade, que pode ser ampliada infinitamente, nós dá acesso a grandes varejistas que antes estavam fora do radar”, revela Abbott.
 
A preocupação da Dinamize em turbinar a operação faz sentido, em um mercado que está passando por uma escalada de poder de fogo com a entrada em cena de players internacionais como Experian  e Exact Target, que compraram concorrentes dos gaúchos como Frontier e Virid.
 
“Vamos competir criando uma ferramenta capaz de competir em inglês e espanhol”, diz Abbott, revelando que a Dinamize também foi procurada por grupos estrangeiros e preferiu seguir com investimentos próprios.
 
O executivo vê o processo em curso no mercado de e-mail marketing como uma janela de oportunidade para Dinamize. 
 
“A concorrência vai pressionar os preços para baixo, complicando para os players menores. Ao mesmo tempo, os americanos trabalham daquele jeito by the book. Nós temos hoje 750 planos personalizados para nossos clientes”, analisa Abbott.