Dois anos após anunciar o início do desenvolvimento de um sistema para emissão de CPF via Internet, a Receita Federal ainda não conseguiu criar uma solução que garanta a segurança dos dados do usuário, o que tem impedido o lançamento do serviço.

A informação é da coordenadora-geral de Atendimento da Receita Federal, Maria Helena Cotta Cardozo.

Em entrevista à Agência Brasil, ela afirmou que o Fisco ainda não conseguiu trabalhar um sistema que garanta a autenticidade do documentou, ou seja, que evite que criminosos usem os dados de outras pessoas para obter o CPF.

Além disso, segundo Maria Helena a Receita também precisa do apoio das demais entidades públicas que emitem o documento de graça, como secretarias de governos estaduais e unidades do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra), entre outras.

Para a coordenadora, estas instituições precisam passar por um processo de modernização, antes do início da emissão do CPF unicamente via web.

Hoje, o Cadastro de Pessoa Física é emitido instantaneamente, em sistema.

Porém, para obter o documento em papel, o requerente precisa ir até um posto de atendimento e, depois, retirar o número impresso nas agências do Banco do Brasil, CEF ou Correios.

Depois disso, ainda é necessário entrar no site da Receita para imprimir o comprovante de autenticidade do CPF.

O processo todo sai por R$ 5,70.