O site de compras coletivas Groupon deu início, nessa quinta-feira, 02, à sua oferta inicial de ações (IPO) nos Estados Unidos. A intenção é capitar US$ 750 milhões. Os bancos Morgan Stanley, Credit Suisse e Goldmam Sachs serão os coordenadores da oferta.

Segundo o documento, a empresa pretende utilizar os recursos da oferta para capital de giro e outros propósitos corporativos, que podem incluir a aquisição de outras empresas, produtos ou tecnologias.

“Entretanto, não temos nenhum comprometimento em qualquer aquisição agora”, mostra o documento.

Enquanto isso, o Groupon irá investir em fundos e ativos com a nota de grau de investimento.

No primeiro trimestre de 2011, a receita do Groupon chegou a US$ 644,728 milhões, crescimento de 1,3% na comparação com o mesmo período do ano anterior.

Mais fôlego na bolha
A IPO do Groupon segue a entrada do LinkedIn na bolsa nessa semana, cujas ações chegaram a ser negociadas por US$ 79, com capitalização de US$ 7,5 bilhão. O negócio aumenta os temores sobre uma bolha nos negócios online.

Três pesquisadores – das universidades Cornell e Columbia, nos Estados Unidos – afirmam ter sido formada uma bolha nas ações do LinkedIn nos primeiros quatro dias de negociação dos papéis, movimento determinado como "definitivo" segundo um modelo desenvolvido por eles.

Os pesquisadores desenvolveram um modelo que afirmam ser capaz de estabelecer em tempo real se os preços do mercado estão fadados a um colapso.

Segundo eles, a companhia de redes sociais LinkedIn serve como exemplo.

“Se pessoas suficientes acreditarem que existe uma bolha e o número de pessoas que desejem sustentá-la não baste, talvez as bolhas desapareçam antes de crescer demais”, disse Robert Jarrow, professor de Finanças da Cornell University, à agência Reuters.

As ações da rede social profissional mais que dobraram de valor em seu primeiro dia de operação na Bolsa de Nova York.