Com investimentos totais de R$ 40 milhões, a paulista Indiana Mistery prevê para agosto o início das obras de um parque temático em Farroupilha, localizada na serra gaúcha, que incluirá entre suas atrações um cinema 4D.

Em formato de navio, a sala exibirá um filme 3D que contará a vinda dos primeiros imigrantes italianos para o Brasil, por volta de 1875, e simulará aos espectadores os desafios da viagem.

A exibição do filme terá o acréscimo de efeitos como movimentos de cadeiras, espirros d água e simulação de ventanias, entre outros elementos que compõem a técnica do chamado cinema 4D.

“O navio é similar ao que trouxe os imigrantes e a atração irá apresentar uma travessia repleta de efeitos como ventanias e tempestades, o que reflete as dificuldades da época. Muitos foram os navios que naufragaram nesta rota”, explica o CEO da empresa, Juan Espeche.

De acordo com Espeche, a produção do filme será da própria Indiana e as instalações terão equipamentos importados e outros desenvolvidos no Brasil. “Tudo está sendo desenvolvido pelos nossos departamentos de pesquisa e tecnologia”, detalha o CEO.

Denominado Nova Itália, a proposta do complexo turístico a ser construído em Farroupilha é inserir o município, distante cerca de 100 km de Porto Alegre, na rota de visitação da serra a partir da inserção do tema imigração italiana como referência nas atrações de lazer e entretenimento.

“A ideia do parque partiu da própria prefeitura. Farroupilha é um município fortemente industrializado. Com 80 mil habitantes possui cerca de 930 indústrias operando nele e, apesar desse potencial, ainda não está inserida na rota turística da serra”, declara Espeche.

Com área de 40 mil m2, concedida pela prefeitura do município em comodato de 50 anos para a Indiana, o complexo tem o objetivo de figurar como o terceiro maior parque temático do país, atrás apenas do Hopi Hari, em São Paulo, e do Beto Carrero, de Santa Catarina, onde também estão instaladas atrações da companhia.

A empresa, que conta com 52 colaboradores, fatura anualmente cerca de R$ 2,3 milhões. Além disso, já produziu diversas atrações no exterior - Estados Unidos, Colômbia e Argentina.

A previsão da empresa paulista, com sede em Jundiaí, é concluir o empreendimento em dez anos. O projeto divide a construção em cinco etapas, sendo que cada uma delas deve levar cerca de dois anos. A primeira etapa, que custará R$ 15 milhões, deve estar pronta no final de 2011.

Planejado para receber até 3 mil pessoas simultaneamente, a expectativa é de contar com cerca de 400 mil visitantes anuais. A título de comparação, a Expointer recebeu 420 mil pessoas na última edição.

O empreendimento será erguido onde hoje fica o Monumento Centenário da Imigração Italiana no Rio Grande do Sul, no distrito de Nova Milano. O investimento será feito com recursos da empresa e além de incrementar o turismo da região, promete gerar 500 empregos diretos e indiretos na fase de construção, e outros 300 quando estiver em funcionamento.

O parque terá fachada com uma réplica do Coliseu e a entrada será em forma do Arco de Constantino. A atração terá ainda um monumento a Nossa Senhora de Caravaggio trem fantasma com 10 cenários contando o desenvolvimento da Serra, centro de convenções, réplicas das ruínas romanas, palcos para contar a história da formação de Roma e da imigração, além dos canais de Veneza.

Serra 4D
No Brasil, o primeiro cinema 4D foi inaugurado em janeiro de 2009 no parque de trenós Alpen Park, localizada na também gaúcha Canela.

A sala proporciona aos expectadores sensações físicas táteis e climáticas, de acordo com o filme: as simulações permitem a percepção do vento, respingos d’água e de contatos de objetos.

A atração do Alpen Park conta ainda com sistema de som Surround 5.1, seis projetores e uma tela semicilíndrica de 72 metros quadrados, equipamentos fornecidos pela chinesa Fantawild, que também produziu os primeiros filmes exibidos na sala.

O filme dura meia hora e o ingresso custa R$ 15.