Tamanho da fonte: -A+A

Cálculos da Fecomércio de São Paulo indicam que a nova lei do aviso prévio deve resultar em uma despesa adicional de R$ 3,7 bilhões ao ano às empresas, ou 0,5% do total da folha de salários.

O impacto se dá pela mudança na legislação, que antes determinava um período de 30 dias, e agora o estende a até 90 dias, dependendo do tempo de permanência no emprego.

O benefício é concedido em caso de demissão sem justa causa.

Segundo a entidade, a mudança trouxe uma série de dúvidas jurídicas Por exemplo, a lei instituiu um acréscimo de três dias por ano completo de serviço até o limite de 60 dias (com 21 anos de casa) aos 30 já existentes.

Há dúvida, porém, quanto a se esses dias servem apenas para calcular o valor da indenização ou se devem ser contados como tempo de serviço.

Se forem considerados como tempo de serviço, incidiria sobre esse valor o 13º salário, férias, FGTS, e as empresas seriam obrigadas a recolher o INSS sobre o período.