O Brasil entrou, este ano, em uma nova fase de "forte redução de gastos de custeio", o que deverá abrir espaço para uma redução de juros.

A afirmação é do ministro da Fazenda, Guido Mantega.

Na quarta-feira, 02, ele afirmou que o principal desafio do país em 2011 e nos próximos anos será promover uma “forte redução de gastos de custeio e um esforço grande para impedir que novos gastos sejam gerados no Congresso e em novas áreas do governo".

Além disso, melhorar as contas externas, garantindo que as exportações cresçam mais que as importações, é outro desafio atrelado ao anterior, segundo Mantega.

“A redução da demanda pública permitirá ao país investir mais e reduzir juros”, garantiu o ministro. “A política monetária tem que reagir a essa nova colocação. Redução de gasto publico tem que resultar depois em redução de juros, isso é uma lógica que é aceita por todos", acrescentou, em encontro com o Grupo de Avanço de Competitividade, criado elo próprio Mantega.