Nesta sexta-feira, 03, a Justiça decretou a prisão preventiva dos três suspeitos detidos na quinta, 02, pela força-tarefa da Polícia Federal que investiga supostas fraudes no departamento de marketing do Banrisul, envolvendo as agências DCS e SLM.

Foram presos o superintendente de Marketing do banco, Walney Fehlberg; o representante da agência de publicidade SLM, Gilson Stork, e o diretor da DCS, Armando D'Elía Neto.

A força-tarefa, que conta com participação do Ministério Público e Ministério Público de Contas, executou na quinta 11 mandados de busca e apreensão, tanto nas agências, quanto no banco e nas residências dos envolvidos.

A suposta fraude envolveria superfaturamento de alguns projetos de marketing, somando um total de R$ 10 milhões desviados.

Em nota divulgada nesta sexta, a DCS afirmou que está "colabarando ativamente na execução da medida judicial, fornecendo todos os documentos solicitados e prestando as informações necessárias". A nota também "reafirma categoricamente" a "legalidade e a lisura de todos os contratos firmados com seus clientes".

Confira a íntegra do comunicado:

“Nota da DCS à imprensa

Surpreendida pela Operação realizada pela Polícia Federal nesta quinta-feira, dia 2 de setembro, na sua sede, e que envolve um de seus funcionários, a DCS informa que colabarando ativamente na execução da medida judicial, fornecendo todos os documentos solicitados e prestando as informações necessárias. Os advogados da empresa ainda não tiveram acesso integral aos autos do inquérito que corre em segredo de Justiça, não podendo, até o momento, prestar maiores esclarecimentos.

Atuando há 25 anos no mercado, a DCS reafirma categoricamente a legalidade e a lisura de todos os contratos firmados com seus clientes e é a mais interessada na elucidação dos fatos. Para isto está à disposição das autoridades para prestar todos os esclarecimentos necessários.

Porto Alegre, 03 de setembro 2010
Diretoria da DCS"