O Tecnosinos lançou nesta quinta-feira, 29, seis programas destinados a aumentar a quantidade e a qualidade da mão de obra disponível para as empresas instaladas no parque tecnológico instalado em São Leopoldo.

 
Dois dos programas visam estudantes de escolas técnicas através de parcerias com 12 escolas, incluindo instituições particulares como o Sinodal de São Leopoldo e colégios com foco técnico como o Parobé, em Porto Alegre, e Liberato, em Novo Hamburgo.
 
Através do Projeto 200 Talentos, o parque quer capacitar 200 jovens, através de cursos de curta duração em PHP, .Net, Java e programação básica ao longo de 10 meses. 
 
Outra iniciativa é o Projeto Escolas que pretende levar 2 mil jovens para conhecer as empresas e as instalações do Tecnosinos ao longo de um turno durante este semestre.
 
Em abril, a Unisinos já havia anunciado que até o final de 2011, 576 alunos alunos das disciplinas de Inovação e Empreendedorismo, das áreas de Ciências Econômicas e Exatas e Tecnológicas, participariam de palestras e visitas a empresas incubadas no Tecnosinos.
 
“O nosso principal insumo é recursos humanos, sem pessoas não conseguimos promover a inovação. E essa tem sido uma pauta constante no parque, por isso a criação desse projeto vai ajudar a trazer mão de obra para o Tecnosinos”, destacou Susana Kakuta diretora executiva do parque.
 
Outras iniciativas visam os estudantes da Unisinos, universidade ao lado do qual o parque está instalado, concedendo descontos nos cursos da instituição na área de graduação, pós-graduação e idiomas e extensão.
 
Em 2009, o parque tecnológico leopoldense divulgou uma projeção de chegar a 2017 abrigando 300 companhias de diversos portes, coroadas por um grupo de 20 grandes empresas que serão as âncoras de um cluster de alta tecnologia.
 
Com 73 empresas instaladas, o parque emprega atualmente 3,5 mil funcionários. O faturamento total em 2010 chegou a  R$ 1,3 bilhão. Entre as maiores companhias no local estão SAP, HCL, Meta e Stefanini.