Os presidentes da Academia Brasileira de Ciências (ABC) e da  Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC) divulgaram uma nota nesta quinta-feira, 02, pedindo continuidade nas políticas do Ministério de Ciência e Tecnologia.

Segundo as entidades, o MCT começou a conquistar uma “condição mais coerente com as expectativas da comunidade acadêmica e com as necessidades do país” em durante os governos Itamar Franco e Fernando Henrique Cardoso, conquistas que teriam se “acentuado  substancialmente” durante os dois governos Lula.

As entidades ressaltam o aumento contínuo do orçamento do MCT e a “ gestão compartilhada” com dirigentes de instituições diversas e de lideranças do mundo acadêmico e empresarial, sem “restrições de natureza ideológica ou partidária”.

Na avaliação das entidades, o ministério conseguiu “executar plenamente o seu papel”, atrabés de novidades como a Lei do Bem, as subvenções à inovação e na conformação de um sistema nacional de C&T.

Mercadante deve assumir
O senador Aloizio Mercadante (PT-SP) é um forte candidato para assumir o ministério de Ciência e Tecnologia, no lugar do atual ministro Sérgio Rezende, indicado pelo PSB, informou a Agência Estado também nesta quinta, 02.

Mercadante, que fica sem mandato a partir de fevereiro próximo, foi candidato ao governo de São Paulo e perdeu a disputa para o tucano Geraldo Alckmin por menos de 200 mil votos.

Durante seu período no Senado, Mercadante ajudou o colega Eduardo Azeredo (PSDB-MG) na elaboração do projeto lei que enquadra crimes cometidos na Internet, conhecida como "Lei Azeredo" e apelidada de "AI-5 Digital" por críticos da iniciativa.

Mercadante também ajudou a flexibilizar a lei eleitoral para a Internet nas eleições de 2010.

Caso confirmada, a nomeação ajudará a fortalecer ainda mais o PT de São Paulo na formação do novo governo, onde os paulistas devem ser contemplados com pelo menos seis ministérios.