Carl Icahn, um dos principais investidores do Yahoo, afastado do conselho da empresa em 2009, ofereceu US$ 300 milhões para adquirir a rede de locadoras Blockbuster, fundada em 1985.

Em 22 de fevereiro desse ano, a empresa chegou a aprovar uma oferta de compra de US$ 290 milhões, mas a venda não foi formalizada.

Combalida pelas novas tecnologias de transmissão e distribuição de vídeos, a empresa teve a falência decretada em 23 de setembro do ano passado.

Desde a data, 5 mil unidades foram fechadas.

A companhia, que conta com 2,5 mil lojas nos Estados Unidos, vem lutando contra a concorrência de serviços online de filmes como o Netflix.

Fundada em 1985, a Blockbuster tem quase 47 milhões de clientes nos EUA e em 16 outros países. A Viacom Inc, que é dona do estúdio de cinema Paramount, comprou a Blockbuster de Wayne Huizenga por US$ 8,4 bilhões em 1994 e abriu seu capital em 2004.

Apesar dos problemas sentidos pela franquia nos Estados Unidos, a empresa acaba de anunciar planos de expansão, com a chegada, por exemplo, do serviço Blockbuster Online em Porto Alegre.

No Brasil, o direito de uso da marca Blockbuster foi adquirido pela Lojas Americanas em 2007, por 20 anos, não possuindo vínculos com as operações internacionais da empresa.

Em 2010, a receita da empresa foi de US$ 4,06 bilhões. A dívida com estúdios de cinema por ocasião da concordata, de US$ 1 bilhão, estava em negociações para ser reduzida para US$ 100 milhões.

Atualmente, Icahn já possui participação em empresas de entretenimento, como a MGM e a Lions Gate.