O setor bancário investiu R$ 22 bilhões em TI no ano passado. Segundo a Febraban, o crescimento nos gastos com tecnologia foi de 15% em relação a 2009.

O total é composto por despesas (R$ 15,4 bilhões, aumento de 13% na comparação 2010/2009) e investimentos (R$ 6,6 bilhões – expansão de 19%).

“Esses números mostram que os investimentos TI cresce acima da media de despesas do setor, o que significa que os bancos veem em TI uma importante alavanca para suas estratégias de crescimento”, destaca Gustavo Roxo, da Comissão Organizadora do Ciab.

Conforme o relatório Setor bancário em números, divulgado pela entidade nessa quarta-feira, 04, os gastos com hardwares expandiram 22,5%, para R$ 6,35 bilhões, e os com softwares evoluíram 13,16%, para R$ 6,88 bilhões.

Houve uma redução de 5% no número de servidores centralizados, que fecharam 2010 em 19.594 unidades.

Contar o número de servidores deixou de ser uma informação consistente, disse o diretor de tecnologia da Febraban. “Isso não significa desinvestimento, mas migração para tecnologias mais sofisticadas”, afirmou Roxo.

De acordo com o diretor, os bancos usam cada vez mais a virtualização dos servidores.