Tamanho da fonte: -A+A

O Scotiabank firmou um acordo com o Commerzbank AG para aquisição do Dresdner Bank Brasil (DBB), tradicional banco de atacado, mas que também opera com licença de banco múltiplo – área em que o comprador canadense pretende crescer no país.

O banco norte-americano, que em julho deste ano relatou carteira de ativos de mais de US$ 567 bilhões,  já atua no Brasil há mais de 40 anos, atendendo a clientes das áreas de utillities, minerais ferrosos e não ferrosos, além de infraestrutura.

Na América Latina, onde também está no Chile, Colômbia, Peru, México, Uruguai e Venezuela, a instituição tem 26 mil funcionários, 2.249 caixas eletrônicos e 1.255 agências, quiosques e escritórios.

O co-presidente do Scotia Capital, Steve McDonald, afirma que a aquisição é uma aposta na “principal potência econômica da América do Sul”, onde a meta do banco é se sobressair nos setores de energia, agricultura, mineração, manufatura e serviços.

“Trata-se da nação mais populosa deste continente, com a quinta maior população do mundo - mais de 190 milhões de habitantes. O PIB estimado para 2011 é de aproximadamente US$2,3 trilhões, 7º maior do mundo”, cita o executivo, com base em dados do índice padrão PPP (Purchasing Power Parity, ou Poder de Paridade de Compra), do FMI.

Com a compra, o banco passa a funcionar sob a marca, Scotiabank Brasil S.A. Banco Múltiplo.

Em todo o mundo, o Scotiabank emprega mais de 70 mil funcionários, além de contar com uma rede de afiliados que atendem a mais de 18,6 milhões de consumidores em mais de 50 países.

O portfólio inclui produtos bancários para pessoas físicas e jurídicas, além de serviços na área de investimentos.

O primeiro

Conforme divulgado pelo TozziniFreire, escritório de advocacia que prestou assessoria para o Scotiabank no processo de compra do Dresdner Bank Brasil, a instituição será a primeira do Canadá a operar no Brasil, no ramo em que atua.

O adquirido

O Dresdner Bank é controlado mundialmente pelo alemão Commerzbank, que adquiriu o banco da Allianz em 2008, em uma operação de quase 10 bilhões de euros.

No final de 2009, a filial brasileira - DBB - tinha ativos totais de cerca de US$ 400 milhões e uma equipe de cerca de 50 funcionários em seu escritório, em São Paulo.