Laércio Consentino e Marco Stefanini, fundadores da Totvs e da Stefanini, criticaram as leis trabalhistas brasileiras na edição da Exame dessa quarta-feira, 03.

“As regras de 1930 não se aplicam à era da Internet”, comenta Stefanini na reportagem. De acordo com o empresário, falta incluir na lei “conceitos mais modernos”. Ele cita como exemplo o home office. “É uma tendência em todo mundo, mas no Brasil não é permitido”.

Consentino foi mais longe. De acordo com a Exame, o presidente da Totvs acredita que a CLT deveria valer apenas para quem ganha até R$ 2 mil mensais. “Acima disso poderia haver livre negociação”, comenta.

A reportagem da Exame, que abordou a ausência da discussão sobre o papel e as necessidades da iniciativa privada no debate das últimas eleições, ouviu também Andrea Basso (InVitro), Luiz Seabra (Natura), Ulisses Sabará (Beraca), Avelino Costa (Pif Paf) e Luiza Helena Trajano (Magazine Luiza).