O Serpro dispõe de um orçamento de até R$ 100 milhões para incentivar aposentadorias de funcionários em 2011.

A revelação foi feita pelo presidente da estatal de processamento de dados do governo federal,  presidente do Serpro, Marcos Mazoni ao portal brasiliense Convergência Digital.

Segundo Mazoni, o programa de Ações de Preparação à Aposentadoria (APA) está sendo alvo de ajustes junto ao Ministério Público que permitirão aposentar inclusive funcionários com ações trabalhistas na Justiça.

Ao mesmo tempo em que estimula aposentadorias, o Serpro segue contratando novos colaboradores. Mazoni disse ao Convergência que o teto devem chegar com a abertura de mais 500 vagas.

“Depois disso, a contratação de novos serviços terá que se dar pela contratação privada dos órgãos”, garante o gaúcho.

A aparente contradição entre incentivar aposentadorias e fazer novas contratações se explica pela mudança do perfil de funcionário no Serpro.

Em entrevista concedida ao Baguete em abril de 2010, Mazoni destacou que “400 quadros mais antigos como digitadores se aposentaram” e que a empresa estava contratando “na área de desenvolvimento, a finalidade do Serpro”.

Segundo Mazoni explicou na ocasião, o Serpro tem um limite constitucional de 11,5 mil funcionários.