John Deere anuncia novos cortes no RS

05/09/2011 11:50

Cerca de uma semana depois de anunciar a transferência de sua sede administrativa de Porto Alegre para Indaiatuba, cidade metropolitana de Campinas, interior de São Paulo, a John Deere voltou a divulgar cortes em sua operação no Rio Grande do Sul.

A companhia anunciou na sexta-feira, 02, a demissão de 104 funcionários de sua unidade de Horizontina – segundo corte realizado nesta fábrica este ano.

Tamanho da fonte: -A+A

Cerca de uma semana depois de anunciar a transferência de sua sede administrativa de Porto Alegre para Indaiatuba, cidade metropolitana de Campinas, interior de São Paulo, a John Deere voltou a divulgar cortes em sua operação no Rio Grande do Sul.

A companhia anunciou na sexta-feira, 02, a demissão de 104 funcionários de sua unidade de Horizontina – segundo corte realizado nesta fábrica este ano.

Em nota enviada à imprensa, a empresa informa que o corte se deve a um “processo de reestruturação” focado no “aumento da eficiência e competitividade” dos negócios.

Em abril deste ano, a John Deere já havia demitido 230 funcionários da linha de produção de plantadeiras e colheitadeiras em Horizontina.

Na ocasião, a empresa divulgou nota alegando que se tratava de uma adequação necessária à sustentabilidade dos negócios, devido principalmente à insegurança do mercado argentino, para onde a empresa exporta suas máquinas.

Já no caso da transferência de Porto Alegre para Indaiatuba, a meta é que a mudança comece em janeiro de 2012.

A transferência envolve também a estrutura administrativa do Banco John Deere, braço do grupo responsável por financiar a compra de máquinas e equipamentos.
 
Conforme divulgado pela John Deere, a saída da capital gaúcha se deve a questões logísticas, já que a nova sede de Indaiatuba ficará ao lado de um centro de distribuição de peças que a companhia já mantém em Campinas.
 
Outra vantagem na área seria o aeroporto de Viracopos, em Campinas.
 
A empresa não é a primeira empresa que o Rio Grande do Sul perde para o interior de São Paulo devido a considerações logísticas.

O caso mais famoso foi o fechamento da fábrica da Dell em Eldorado do Sul em 2006, com a transferência para Hortolândia.
 
 

Veja também

John Deere troca RS por SP

A John Deere vai transferir sua sede administrativa de Porto Alegre para Indaiatuba, cidade na região metropolitana de Campinas, no interior de São Paulo. 

T-Systems fecha em Porto Alegre

A T-Systems, multinacional alemã com faturamento de  R$ 336 milhões no Brasil em 2010, fechou sua operação em Porto Alegre há pelo menos duas semanas.

Paquetá fecha fábrica de Sapiranga

A Paquetá encerrou suas atividades de produção em Sapiranga-RS.

Ao todo, a fábrica emprega 1,4 mil colaboradores. Destes, conforme dados do Sindicato dos Calçadistas, cerca de 300 já tiveram recisão de contrato encaminhada.

Do restante, parte permanecerá na companhia, realocada em departamentos que seguirão funcionando na operação gaúcha, como Design e Compras.

Azaléia fecha em Parobé e demite 800

A fabricante gaúcha de calçados Azaléia fechou sua fábrica localizada em Parobé, no Vale do Sinos, resultando na demissão de 800 colaboradores.

Operação da GVT em Osasco é ativada

A operação comercial da GVT em Osasco (SP) foi ativada nessa semana oferecendo telefonia fixa e banda larga a 100Mbps em 22 bairros da cidade – representando 23% de cobertura do município de de 666 milhões de habitantes, segundo o IBGE, situado a 18 quilômetros da capital.

O investimento inicial na cidade é de R$ 18 milhões para a construção da rede com capacidade de 17 mil acessos de banda larga e de telefonia fixa.

Kronos abre no Brasil de olho no Sul

A Kronos, norte-americana especializada em TI para gestão de mão de obra, acaba de abrir no Brasil.

Com escritório em São Paulo, a empresa atende a 70 mil usuários de cinco clientes no país: Lojas Renner, Mc Donalds Brasil, Nestlé, Teletec e Cameron.

Softway de olho no Sul

A Softway, especializada em software de gestão para importação e exportação, estruturou uma presença nacional nos últimos quatro meses.

No período, a empresa de Campinas abriu filiais em Porto Alegre, Curitiba e Belo Horizonte. Elas se somaram a uma já existente no Rio de Janeiro.

Na região Sul, a meta da Softway é promover um crescimento de 60% ao longo de 2011, obtendo R$ 5 milhões em novas vendas.