Petrobras, centro de pesquisa novo de olho no pré-sal

Tamanho da fonte: -A+A

A Petrobras inaugura nesta quinta-feira, 07, a expansão das instalações do Centro de Pesquisas e Desenvolvimento Leopoldo Américo Miguez de Mello (Cenpes), na Ilha do Fundão, no Rio de Janeiro.

O presidente Lula e o presidente da Petrobras, José Sergio Gabrielli da cerimônia às 15h, após a inauguração da plataforma P-57, em Angra dos Reis, pela manhã.

Com a ampliação, o complexo na Ilha do Fundão ocupará mais 300 mil metros quadrados, tornando-se um dos maiores centros de pesquisa aplicada do mundo.

O espaço abrigará laboratórios destinados a atender as demandas tecnológicas das áreas de negócio da Petrobras, com destaque para Biotecnologia, Meio Ambiente e Gás & Energia, além de equipamentos voltados para o pré-sal. Ambientes para desenvolvimento de estudos e projetos com simulação tridimensional, além de nove alas dedicadas a instalações laboratoriais são alguns dos recursos do centro.

Aposta em parcerias
Além das melhorias, a Petrobras tem investido em parcerias. Nos últimos três anos (2007-2009) foram cerca de R$ 4,8 bilhões gastos em pesquisa, sendo R$1,2 bilhão destinados a universidades e institutos.
 
A expectativa é de que a demanda por parceiros aumente com o pré-sal, abrindo oportunidade para parcerias de longo prazo com a estatal, que tem estimulado as empresas a construir centros de pesquisa no Brasil, em locais próximos às instalações da Companhia ou de universidades parceiras.
 
Somente no Parque Tecnológico da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), localizado próximo ao Cenpes, já foi anunciada a construção de centros de pesquisas de pelo menos quatro importantes fornecedores de equipamentos e serviços da indústria de energia: Schlumberger, Baker Hughes, FMC Technologies e Usiminas.