Tamanho da fonte: -A+A

A Associação Nacional dos Pós-Graduandos (ANPG) está preparando ações para defender um reajuste de 35% nas bolsas de estudos pagas pela Capes e o CNPq.

 
Segundo informações do site Sul21, as bolsas fecharão em maio quatro anos sem reajuste. A cifra é referente à inflação dos últimos quatro anos e aos reajustes previstos pelo Plano Nacional de Pós-Graduação (PNPG) 2005-2010 mas não concedidos.
 
O último reajuste nas bolsas data de 2008 e ficou entre 30 e 40%, aponta o site.
 
Na ocasião, as bolsas de mestrado passaram de R$ 940 (Capes) e R$ 855 (CNPq) para R$ 1.200, e as de doutorado de R$ 1394 (Capes) e R$ 1.267 (CNPq) para R$ 1.800.
 
Em 2005, quando o salário mínimo era de R$ 300, os valores das bolsas de mestrado eram próximos de três salários e os das bolsas de doutorado passavam dos quatro. A partir de 2012, com o salário mínimo de R$ 622, as bolsas de mestrado ficaram inferiores a dois mínimos e as de doutorado inferiores a três. 
 
Bolsas no exterior
O governo federal tem concentrado seus esforços na área de bolsas de pesquisa no exterior.
 
Em dezembro de 2011, a presidente Dilma Rousseff anunciou R$ 3,2 bilhões para o programa Ciência sem Fronteiras, para oferecer 75 mil bolsas de estudos até 2014. 
 
Distribuído ao longo de 24 meses, o investimento alcança um pagamento mensal de R$ 1,7 mil por estudante.
 
As bolsas são focadas em engenharias, ciências exatas, ciências médicas e TI.