A mineradora anglo-suíça Xstrata e a empresa do setor de commodities Glencore International fecharam um acordo para fundir operações e criar uma gigante de US$ 90 bilhões.

As atividades da nova companhia, que deverá se chamar Glencore Xstrata International, serão distribuídas de acordo com o foco das unidades existentes. Assim, ativos ligados a extração ficarão a cargo das atuais unidades de negócios da Xstrata, enquanto a comercialização ficará com a equipe da Glencore.

Conforme publicação no Estadão, a Xstrata afirmou que pelos termos do acordo alcançado os investidores receberão 2,8 ações da Glencore para cada ação da Xstrata, refletindo um prêmio de 15% sobre o valor que o papel da mineradora tinha antes de o acordo ser anunciado.

Assim, a operação dará aos acionistas da Xstrata que não são da Glencore – que já possuem uma fatia de 34,4% na mineradora – uma participação de 45% na companhia resultante da fusão.

Em contrapartida, a Standard Life, que detém 63,6 milhões de ações da Xstrata, afirmou que votará contra os planos para uma fusão da mineradora com a Glencore, a menos que os termos do acordo sejam melhorados.

"Embora nós vejamos algum mérito na fusão, a taxa de troca proposta subestima os ativos da Xstrata e da contribuição de ganhos futuros. Por isso, é nossa intenção votar contra o acordo, a menos que os termos da fusão para os acionistas da Xstrata sejam melhores", disse David Cumming, diretor de ativos da Standard Life, ao Dow Jones.

Nesta terça-feira, 07, as ações da Xstrata caíam 2,50% e as da Glencore subiam 1,27% na Bolsa de Londres, sugerindo que os investidores consideraram o prêmio como pequeno.

De acordo com o Estadão, a Xstrata calcula sinergias no Ebitda de pelo menos US$ 500 milhões no primeiro ano financeiro completo da companhia combinada.

Além disso, o executivo-chefe da Xstrata, Mick Davis, assumirá o mesmo cargo na fusão e o executivo-chefe da Glencore, Ivan Glasenberg, passa a ser vice-executivo-chefe e presidente.

Sob a nova estrutura, os ativos operacionais serão integrados às unidades de negócios da Xstrata existentes e o marketing será gerenciado pelas equipes atuais da Glencore. Foi proposto que o grupo seja listado na Bolsa de Londres e na Bolsa de Hong Kong, com sede na Suíça.