Apesar de não estar numa das cidades sede da Copa do Mundo, o Figueirense entrou no embalo das reformas nos estádios brasileiros, com uma arena orçada em R$ 300 milhões.

O projeto, que prevê capacidade para 25 mil torcedores, foi apresentado na sede da Federação das Indústrias do Estado de Santa Catarina (Fiesc), após quase dois anos de estudo pelo clube e pela Alliance, parceira do Figurira.

Agora, o clube parte à procura de investidores.

“O projeto não é engessado, até porque ainda vamos fazer a captação efetiva de parceiros para a construção do empreendimento que será 100% financiado por recursos privados. Portanto, não quer dizer que a Arena será construída exatamente da forma que foi apresentada.”, explica Leonardo Moura, diretor executivo do Figueirense.

A direção do clube não espera que a arena tenha auxílio do Procopa Arenas, programa criado pelo BNDES para a criação de estádios para a Copa de 2014.

A futura arena seguirá o conceito “multiuso”, podendo abrigar tanto jogos de futebol quanto outros tipos de eventos de grande porte – shows, convenções, etc. O estacionamento terá 2 mil vagas.

Os torcedores ganharão mais conforto nas cadeiras e nas arquibancadas e terão à disposição um pequeno shopping dentro do estádio.

De acordo com Moura, a melhoria na infraestrutura faz parte da estratégia do clube para ser mais competitivo em termos financeiros e futebolísticos, e entra na meta para ser o terceiro maior time da Região Sul.