Os gastos globais com TI deverão chegar a US$ 1,6 trilhão em 2011, representando alta de 5,7% sobre 2010, aponta relatório da consultoria de mercado IDC.

Segundo o estudo, serviços em nuvem, computação móvel e redes sociais deverão "amadurecer e se juntar em uma nova plataforma dominante" para o setor.

“Essa maturação pode até mudar a paisagem competitiva”, opina o analista-chefe da consultoria, Frank Gens.

De acordo com a perspectiva da IDC, os gastos com serviços em nuvem vão crescer 30% em comparação a 2010. Os dispositivos móveis devem superar o número de PCs em 18 meses, fazendo com que o download de aplicativos móveis cresça 150%, chegando a 25 bilhões em 2011.

Os gastos com hardware irão crescer 7,8% em comparação com 2010, e os com software, 5,3%. Serviços terão incremento de 3,5% e terceirização, de 4%.

Mercados emergentes serão responsáveis por mais da metade de todos os novos gastos com TI no mundo, segundo a consultoria.

"O que realmente diferencia o próximo ano é que essas tecnologias inovadoras serão integradas, e ouviremos falar muito de nuvem móvel, redes sociais móveis, redes sociais e análise de dados", disse Gens.

A projeção da IDC em volume financeiro é menor que a já divulgada por seu principal concorrente, o Gartner, que estima gastos de US$ 2,5 bilhões – aumento de 3% em comparação ao movimentado pelo mercado global em 2010.