A 1ª Delegacia de Polícia Civil de Porto Alegre prepara uma nova estratégia para endurecer o combate à ação dos pichadores na cidade.

 
Segundo reportagem da Zero Hora desta segunda-feira, 09, o plano é indiciar os autores das pichações por formação de quadrilha, o que pode resultar em penas de até seis anos de prisão, no lugar de crime de dano, um delito geralmente punido com trabalho comunitário.
 
A medida foi colocada em prática após um estudo que mostrou que os pichadores atuam em bando, muitas vezes identificando suas “obras” com assinaturas comuns, o que permitiria serem enquadrados como uma associação criminosa.
 
O dossiê foi montado durante os últimos seis meses pelo setor de inteligência da 1ª DP e inclui a ficha completa de 43 pichadores que atuam no Centro e no bairro Cidade Baixa, além de levantamento fotográfico dos danos, ocorrências policiais e depoimentos. 
 
A estimativa é que existam hoje, de 40 a 50 pichadores em atividade na cidade. A maioria deles, seria monitorada pela polícia.
 
“Os pichadores precisam repousar um pouco no Presídio Central para meditar sobre o prejuízo que causam. A partir do momento em que colocarmos algum na cadeia, vai servir de exemplo aos demais. Cadeia é a solução”, disse o delegado Paulo Cesar Jardim à ZH.