Os professores da região Sul são os que mais utilizam a Internet como canal de intermediação para comunicação e atividades de aprendizado com seus alunos.

É o que indica a pesquisa TIC Educação, realizada pelo CGI.br e Cetic.br.

Conforme o estudo, enquanto na região Sul o quesito “pesquisa de informações utilizando o computador e a Internet” é praticado por 56% dos professores entrevistados, a média nacional cai para 44%.

Além disso, no geral do país, o índice de uso da web pelos docentes para intermédio com seus alunos fica em somente 20%.

Para o levantamento, foram entrevistados 1.541 professores, também 4.987 alunos, 497 diretores e 428 coordenadores pedagógicos de 497 escolas públicas de áreas urbanas de todas as regiões brasileiras.

Os dados indicam que 81% das escolas avaliadas têm laboratório de informática e, destas, 86% oferecem também conexão à Internet.

Máquinas em alta, aplicação em baixa
Apesar de considerado alto, o índice de presença de laboratórios de informática e acesso à rede nas escolas não é suficiente, conforme a maioria dos diretores, professores e coordenadores pedagógicos ouvidos.

Para este grupo de profissionais, o número de computadores conectados à Internet ainda é inferior às necessidades dos colégios, e a baixa velocidade de conexão é uma barreira para a integração das TICs à educação.

“Os resultados apontam a necessidade de incentivar a utilização pedagógica da tecnologia, já que o cotidiano do ensino-aprendizagem atualmente se desenvolve principalmente dentro da sala de aula e não no laboratório de informática.” relata Alexandre Barbosa, gerente do Cetic.br.

Em sala de aula
A pesquisa revela que, dentre as rotinas de aprendizado em sala de aula, ensinar os alunos a usar o computador e a Internet é a atividade menos frequente.

Apesar disso, 40% dos professores entrevistados disseram que se dispõem a contribuir para desenvolver o conhecimento dos alunos em relação às tecnologias, mesmo que em uma frequência baixa.

Barbosa avalia que, nas atividades mais comuns realizadas com os alunos, como aula expositiva, interpretação de texto e exercícios de fixação, o foco no uso das TICs - computador e Internet - é muito baixo.

Quem é o mestre?
Para a maioria dos professores entrevistados, a principal limitação para maior uso das TICs na escola está relacionada ao grau de conhecimento dos docentes sobre o uso da tecnologia.

Dentre os professores, 64% concorda que os alunos sabem mais que eles sobre computadores e Internet.

Já 75% dos docentes afirmou que a principal fonte de apoio para o desenvolvimento de suas habilidades tecnológicas são os contatos informais com outros educadores.

“Na perspectiva do docente, ele depende principalmente de sua motivação pessoal e da ajuda dos colegas para desenvolver habilidades no uso de computador e da Internet”, comenta Barbosa.

A pesquisa na íntegra pode ser conferida pelo link abaixo.