O Seprorgs levou a melhor na discussão com o Sindppd-RS sobre a convenção coletiva da categoria de TI, assinada nesta sexta-feira, 11.

O reajuste acertado ficou em 5,39%. O índice do INPC dos últimos doze meses era a proposta inicial do sindicato patronal.

O Sindppd pedia redução da semana de trabalho de 44h para 40h, sem redução de salários, além de aumento de 11%.

Ao longo dos últimos três meses, o sindicato fez uma campanha com spots de rádio na Ipanema, Pop Rock, Gaúcha, Guaíba e Band AM e outdoors em Porto Alegre, Canoas, São Leopoldo, Eldorado do Sul, Campo Bom, Pelotas, Santa Maria e Caxias do Sul.

Por meio da campanha, que enfatizava o crescimento das empresas de TI, os sindicalistas pediam aos funcionários da iniciativa privada que comparecessem no local de trabalho vestindo roupas brancas em determinados dias.

“Será necessária uma mobilização muito superior para a próxima campanha salarial, para que os patrões se sintam realmente pressionados a avançar em nossas reivindicações”, reconhece o Sindppd-RS, em nota publicada no seu site.

Bastante atuante em empresas públicas de processamento de dados como Procergs, Serpro e Dataprev, o Sindppd-RS teve seu desempenho avaliado como "ruim" por 50% dos participantes de uma enquete do Baguete sobre o desempenho do sindicato na iniciativa privada.

Por sua parte, o Seprorgs prefere destacar o aumento dos salários proporcionado pela própria dinâmica do mercado de TI.

“As companhias já concedem aumentos constantes para manter o talento dentro das organizações”, avalia Edgar Serrano, presidente do Seprorgs.

De acordo com o empresário, a proposta do sindicato é destinada a “preservar o 95% de pequenas empresas no mercado, as quais não podem bancar o reajuste”.