O Paraná está na rota da terceira maior montadora chinesa de caminhões.

A estatal Sinotruk, que teve receita de US$ 4,3 bilhões em 2009, último ano informado, apresentou nessa semana um projeto ao ministro do Desenvolvimento, Fernando Pimentel, para construção de uma fábrica em território paranaense.

Em visita a brasília, o secretário estadual da Indústria, Ricardo Barros, que acompanhou representantes da empresa, revelou que o estado já está em negociações avançadas com a companhia chinesa.

“O ministro teve conhecimento dos detalhes do empreendimento e das demandas da Sinotruk”, contou Barros.

Informações como a cidade em que a fábrica se instalaria e o investimento específico da unidade não foram divulgados.

A montadora já possui, no entanto, um centro de distribuição em Campina Grande do Sul, na Região Metropolitana de Curitiba, onde abriga peças importadas do modelo Howo. A unidade foi inaugurada em setembro.

Atração fiscal
Desde o início do ano, o governo paranaense tem buscado atrair investimentos através de medidas de incentivo ao setor produtivo, como dilação de prazos para recolhimento do ICMS, investimentos para melhoria da infraestrutura e da capacitação profissional.

Até o momento, o programa Paraná Competitivo, que alterou as regras fiscais no estado, tem confirmados R$ 7,5 bilhões em novos investimentos e outros R$ 15 bilhões em negociação.

Os investimentos mais recentes no setor automotivo foram da Renault, Sumitomo, Paccar e Caterpillar.

Chinesas de olho no Brasil
Fundada em 1935, a Sinotruk mantém parceria estratégica e tecnológica com a alemã MAN, que detém  25% de participação da montadora chinesa.

Se confirmado o investimento da asiática, o aporte se somará aos USS 7,14 bilhões já anunciados para o Brasil de janeiro a outubro, vindos da China. Desse total, 74% foram destinados a manufaturas, semimanufaturas e pesquisa e desenvolvimento.

O setor que mais atraiu a atenção dos chineses tem sido o automotivo, que terá US$ 3,12 bilhões destinados ao Brasil pelas companhias do segmento, conforme dados do Conselho Empresarial Brasil-China.