Estudo realizado pela Acate e a prefeitura municipal de Florianópolis aponta que devem ser abertas 1,5 mil vagas na área de TIC nesse ano na cidade. Somadas as 560 não preenchidas do ano passado, a oferta de emprego na área deve chegar a 2 mil.

Para 2014, as empresas estimam que irão contratar 2.397 profissionais.

Isso representa 73% dos atuais 3.261 empregados nestas empresas, um reflexo da participação do setor na economia local – apenas as empresas de software e serviços de Florianópolis faturaram, em 2010, R$ 602 milhões e são responsáveis por cerca de 10% do ISS arrecadado no município, ficando atrás apenas das instituições financeiras.

Em paralelo, as instituições de ensino apontaram que em 2011 serão oferecidas apenas 833 vagas em cursos de graduação na área de TIC.

“O que é problema para o setor tecnológico pode ser a solução para milhares de jovens talentos em busca de uma oportunidade. Precisamos ampliar em quantidade a formação”, sugere o vice-presidente da Acate e coordenador do mapeamento, Moacir Marafon.

De acordo com o levantamento, 67% desses profissionais trabalham em micro e pequenas empresas.

Entre as principais habilidades demandadas pelas empresas de seus profissionais estão o inglês, seguido de metodologia de desenvolvimento, linguagem SQL, modelagem de dados e análise e projeto de sistemas.

Combater o GAP
Segundo o secretário de Estado de Desenvolvimento Econômico de SC, Paulo Bornhausen, um projeto de capacitação está em aprovação pelo governo federal com recurso estimado em mais de R$ 1,6 milhões.

A meta é selecionar e capacitar 1 mil jovens de instituições de ensino ligadas ao governo do estado para atuação profissional na área de tecnologia nos próximos 12 meses.

Participaram do Mapeamento de Recursos Humanos e Cursos do Setor de Tecnologia da Informação e Comunicação (TIC) 112 empresas de Florianópolis, que empregam 5.055 profissionais, sendo que 3.377 atuam diretamente na área de TIC.