A Copel - Companhia Paranaense de Energia Elétrica, fechou o primeiro trimestre de 2011 com receita operacional líquida de R$ 1.826 milhões.

O lucro líquido foi de R$ 385 milhões, com Lajida (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) de R$ 587 milhões.

No período, a rentabilidade do patrimônio líquido da companhia foi de 3,4%.

Além disso, a Copel registrou, nos primeiros três meses do ano, crescimento na distribuição de energia elétrica de 4%.

O balanço completo da companhia para o período pode ser visto no link abaixo.

Presença elétrica na banda larga

A empresa anunciou em fevereiro deste ano sua entrada no mercado de banda extra larga na internet, com velocidade de transmissão de 100 Mbps, baseada em estrutura própria de 17 mil quilômetros de fibra ótica.

Com investimento de R$ 100 milhões, destinado à interligação de repartições públicas estaduais e redes empresariais à atual rede da companhia, o projeto começou por Curitiba, mas a meta é tornar o Paraná o primeiro estado brasileiro a ter cobertura 100% digital de Internet até 2014.

A infraestrutura de cabos a ser utilizada para prestação do novo serviço já está montada, e é hoje usada para serviços de telecomunicações das unidades da própria Copel em 240 dos 399 municípios paranaenses.

Para atender ao plano de totalizar o acesso à banda extra larga digital no estado, a distribuidora projeta iniciar pela interligação da estrutura geral de todas as cidades do estado por fibra ótica até o final de 2012 e, em mais dois anos, levar a elas a conexão de 100 Mbps.

O novo serviço já tem até nome: BEL-100.

O público alvo do novo nicho da Copel será, inicialmente, o corporativo, além do governo estadual.

Entretanto, segundo o presidente da distribuidora, Lindolfo Zimmer, no ano que vem a previsão é começar a oferta também pra usuários residenciais.

A forma de cobrança será feita mediante o nível de consumo de dados do cliente, como ocorre com faturamento da energia, por exemplo.