A evasão em cursos superiores de educação tecnológica chega a 82%, segundo estudo da Associação Brasileira das Empresas de Tecnologia da Informação e Comunicação (Brasscom).

De acordo com a pesquisa, apenas 85 mil estudantes concluem, em média, a faculdade de TI – de um total de 460 mil vagas oferecidas pelas instituições de educação.

As principais razões da evasão, indica Sérgio Sgobbi, Diretor de Educação e Recursos Humanos da Brasscom, são a falta de perfil em TI – apenas 11% dos egressos de nível superior são de ciências exatas; na China, o número é de 39%.

Falta de base matemática na escola regular, reflexo do investimento anual em educação por estudante, que é aproximadamente quatro a cinco vezes menor do que a média dos países da OCDE para a educação básica e 20% maior na educação superior, também atrapalha.

Além disso, diz Sgobbi, as expectativas dos estudantes com relação aos cursos não são realistas.

Outro fator é a baixa concorrência de alunos por vaga em cursos de graduação em tecnologia – que foi de 1,22 em 2008. “A seleção dos alunos é diretamente relacionada à concorrência; quanto mais concorrentes, maior o grau de dificuldade para ingressar e melhor a seleção”, reforça Sgobbi.

Conforme a Brasscon, a evasão escolar se reflete diretamente no mercado profissional do setor de TI que, embora empregue atualmente 600 mil pessoas, apresenta déficit de quase 92 mil profissionais para esse ano, de acordo com projeções do Observatório Softex.

Mantendo-se o quadro atual, o déficit pode chegar a 200 mil em 2013.

Para alcançar a meta de aumentar em 50% o peso relativo do setor de TI no PIB até 2020, sugere a Brasscon, o país “precisa enfrentar o desafio de formar mão de obra tecnológica e com conhecimento da língua inglesa”.