O Ministério de Ciência e Tecnologia poderá perder R$ 12,2 bilhões, até 2020, caso seja  aprovada a nova distribuição de royalties do petróleo do pré-sal.

A informação é do ministro de Ciência e Tecnologia, Aloizio Mercadante, que falou sobre o assunto em Brasília, durante audiência pública realizada na Comissão de Ciência, Tecnologia, Inovação, Comunicação e Informática (CCT).

Nesta semana, 4 mil prefeitos estiveram na capital federal, pressionando os deputados a derrubar o veto do então presidente Lula à nova distribuição dos  royalties do petróleo e gás para todos os estados e municípios brasileiros, medida que diminuiria a arrecadação do governo federal e dos estados produtores, como o Rio de Janeiro.

O governo conseguiu adiar a votação, onde de acordo com analistas políticos o veto certamente seria derrubado. O objetivo é conseguir uma alternativa.

Para Mercadante, seria o uso dos recursos do pré-sal – estimados em US$ 5 trilhões – sem um projeto de desenvolvimento para as próximas décadas seria um “erro histórico” e o país deve aproveitar o dinheiro para promover um “salto de desenvolvimento”, com ênfase em pesquisa, desenvolvimento e inovação.