A Marcopolo, fábrica de ônibus de Caxias do Sul, comprou 75% da australiana Volgren nesta terça-feira, 13, por US$ 53,052 milhões.

 
O valor deve ser acrescido segundo a performance da adquirida nos próximos três anos, aos finais dos quais a empresa gaúcha terá o direito de adquirir os 25% restantes. 
 
A Volgren afirma ter 40% de participação no mercado australiano, com quatro fábricas, 560 empregados e faturamento de R$ 385 milhões no ano fiscal 2010, encerrado em julho deste ano.
 
Já a Marcopolo, que foi assessorada pela PWC na compra, teve uma receita de R$ 2,964 bilhões em 2010. A companhia já tem quatro fábricas no Brasil e sete distribuídas por Colômbia, Argentina, México, Egito, Índia, África do Sul e China.
 
Marcopolo irá às compras
A compra dos australianos não foi uma surpresa para quem acompanha a Marcopolo.
 
Em outubro, o diretor de Relações com Investidores da companhia, Carlos Zignani, revelou à Reuters que a empresa tem planos de dobrar sua receita nos próximos cinco anos com base em aquisições e aumento de automatização.
 
De acordo com o executivo, as compras serão pagas com recursos de “excesso de caixa" acumulado pela empresa, e terão como foco fazer da companhia gaúcha a primeira ou segunda colocada em cada mercado em que atua.
 
A Marcopolo encerrou o segundo trimestre deste ano com R$ 920 milhões em caixa, alta de 25,4% sobre o período de janeiro a março, e dívida líquida de R$ 526,4 milhões.
 
Segundo salientou Zignani à Reuters, em função do acúmulo de caixa, o Conselho Administrativo da Marcopolo tem cobrado à empresa que aumente a dívida.