O ranking completo da Datamonitor

Três cidades brasileiras foram apontadas em um levantamento da consultoria Datamonitor Group como os melhores destinos de offshoring (alocação de pessoas ou processos em outro país) de TI do mundo.

A lista trás São Paulo na 14ª colocação entre os destinos considerados mais seguros para este tipo de contrato, além de Brasília, na 18ª posição, e o Rio de Janeiro em 22º colocado.

O estudo deste ano reverte resultados da edição de 2009, quando o Rio e Brasília eram considerados algumas das cidades mais perigosas para offshoring. Este ano, a lista das piores não inclui qualquer brasileira.

Conforme o relatório, o país subiu de nível após as estruturações - já promovidas e planejadas – em vista da realização da Copa 2014 e dos Jogos Olímpicos de 2016. Também contribuíram para melhorar a imagem os esforços para redução da criminalidade, capacitação da mão-de-obra e o amadurecimento da justiça brasileira.

No ranking das 25 cidades mais seguras do mundo para offshoring, a primeira colocada é Praga (República Tcheca), seguida por Varsóvia (Polônia) e Berno (República Tcheca). Já o último lugar fica com a indiana Kolkata.

Entre as 25 piores do offshoring, a Datamonitor ressalta Karachi (Paquistão) como campeã, seguida por Medelín (Colômbia) e Juarez (México). Nesta lista, o último lugar fica com Accra (Ghana).

Para realizar o estudo, a Datamonitor ouviu executivos de 3,1 mil empresas, que avaliaram diversos requisitos de escolha de local para contratação de outsourcing de TI e BPO no exterior, além de citarem pontos fracos e fortes de várias cidades.

Confira o ranking completo da Datamonitor na imagem abaixo.